ONU Meio Ambiente, CEPAL, IBGE e Ministério do Meio Ambiente promovem nesta semana workshop regional para discutir caminho conjunto para indicadores ambientais e a Agenda 2030 de desenvolvimento sustentável; 50 participantes compartilham experiências locais, desafios e boas práticas sobre o tema na América Latina e Caribe.

Um workshop no Rio de Janeiro reunirá institutos nacionais de estatística e diversos ministérios do meio ambiente da América Latina e do Caribe para discutir criação de dados, acesso à informação ambiental e cooperação no âmbito da Iniciativa Latino-Americana e Caribenha para o Desenvolvimento Sustentável (ILAC) e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

O encontro, que acontece entre os dias 11 e 15 de dezembro, é promovido pela ONU Meio Ambiente e pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), em colaboração com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e com o Ministério do Meio Ambiente do Brasil (MMA).

Durante os cinco dias de evento, os 50 participantes compartilharão experiências locais, desafios e boas práticas em assuntos como geração, uso e acesso à informação ambiental; criação de dados e de indicadores de meio ambiente; relação entre informação, imprensa e tomada de decisão; e capacitação de recursos técnicos e humanos para o monitoramento de indicadores de desenvolvimento sustentável.

A realização da atividade é um passo importante para o alcance da Agenda 2030. Os indicadores ambientais representam mais de metade do conjunto total de indicadores de monitoramento dos ODS. Isso quer dizer que a região só será capaz de avaliar se as 169 metas dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, acordados por 193 países, estão sendo alcançados ou não se tiver informações mensuráveis sobre o meio ambiente.

A produção e a compilação de dados, no entanto, é um enorme desafio. Na América Latina e Caribe, os países apresentam realidades distintas e, enquanto alguns já estabeleceram sistemas nacionais de mensuração e procedimentos padrões de trabalho, outros estão dando os primeiros passos nesse sentido.

O seminário regional é uma oportunidade única para reunir pessoas e instituições de toda a região latino-americana com o objetivo de estimular a cooperação na produção e compartilhamento de informações ambientais.

Como encaminhamento, o encontro estimula a criação de indicadores comuns aos países e avança na formação da Rede Regional de Estatísticas Ambientais, com lançamento previsto para o último dia de debates.

Serviço:

Data: de 11 a 15 de dezembro
Local: Auditório IBGE, Rio de Janeiro
Para mais informações sobre a Agenda 2030, acesse aqui.
Para mais informações sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), acesse aqui.

Sobre a ONU Meio Ambiente

A ONU Meio Ambiente é a principal voz global em temas ambientais. Ela promove liderança e encoraja parcerias para cuidar do meio ambiente, inspirando, informando e capacitando nações e pessoas a melhorarem a sua qualidade de vida sem comprometer a das futuras gerações. A ONU Meio Ambiente trabalha com governos, com o setor privado, com a sociedade civil e com outras instituições das Nações Unidas e organizações internacionais pelo mundo. Mais em unep.org/americalatinacaribe/br

Sobre a CEPAL

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) é uma das cinco comissões regionais das Nações Unidas e sua sede está em Santiago do Chile. Foi fundada para contribuir com o desenvolvimento econômico da América Latina, coordenar as ações encaminhadas para sua promoção e reforçar as relações econômicas dos países entre si e com as outras nações do mundo. Posteriormente, seu trabalho foi ampliado aos países do Caribe e se incorporou o objetivo de promover o desenvolvimento social. Mais em www.cepal.org/pt-br

https://nacoesunidas.org/onu-e-governo-brasileiro-promovem-workshop-sobre-indicadores-ambientais-e-agenda-2030/